Atrofia Progressiva da Retina

PRA – É a sigla para Progressive Retinal Atrophy, ou, em português, Atrofia Retiniana Progressiva (PRA)

A Atrofia Progressiva da Retina é um processo lento de degeneração de células do tecido da retina, os bastonetes, que são responsáveis pela visão noturna e que pode afetar cães de qualquer raça.

A PRA costuma ser diagnosticada com maior frequência em cães acima de 3 anos e muitas vezes o tutor nunca percebe que se trata de uma doença porque é difícil identificar a diminuição da visão noturna.

Popularidade x controles de saúde

Não por acaso as raças mais afetadas são justamente as raças que sofreram um boom de popularidade, facilitando a entrada de pessoas que, sem compromisso real com a criação responsável, passaram a reproduzir cães sem nenhum controle de saúde. Desde os anos 2000, as raças mais afetadas foram o Poodle, o Cocker Spaniel Inglês, o Labrador, Dachshund e mais recentemente, o Golden Retriever.

No caso dos labradores, é importante lembrar que, nos Estados Unidos, por exemplo, a raça continua estando entre as 10 primeiras em número de labradores registrados no AKC há 28 anos e, no Brasil, não é diferente.

Nas décadas de 1990, quando a raça teve seu apogeu no Brasil, houve um boom de registros de cães provenientes de acasalamentos realizados por pessoas que não tinha NENHUM critério ou controle de saúde e que pretendiam ter apenas ´uma ninhadinha´ em casa. Esses cães, que não pertencem a criadores responsáveis.

Sendo um problema genético recessivo - o que significa que você precisa ter o gene passado de ambos os pais para o seu cachorro ser afetado - o controle da PRA não é tão simples quanto possa parecer.


Compartilhe


Segue a gente