Portal Transparência Labrador

A verdade sobre a criação

Este site foi criado para combater a epidemia de notícias falsas que estão sendo veiculadas, manchando a reputação e o trabalho sério de criadores da raça Labrador.

Nosso objetivo é informar todos os interessados sobre as principais condições de saúde que podem afetar a raça labrador, esclarecer sobre a real capacidade de diagnóstico destes problemas e quais são as ações que estão sendo tomadas a fim de reduzir a incidência de problemas de saúde sem perder a variabilidade do pool genético.

Algumas doenças hereditárias em cães, atualmente podem ser evitadas pela realização de exames de DNA nos pais de uma ninhada. Através desses exames é possível para um criador, que preza por saúde e qualidade do plantel, manter linhas importantes mesmo utilizando cães portadores ou afetados em seu plano de criação, sem que estes produzam filhotes doentes, desde que os acasalamentos sejam feitos com exemplares ´normais/clear´, conforme a tabela abaixo. 


EIC, PRA e HNPK são doenças hereditárias autossômicas recessivas, podendo-se controlar o resultados dos filhotes apenas pela combinação genética dos pais. A partir deste controle genético, podemos acasalar cães CLEAR/NORMAL até com cães que não tenham sido testados. Esse controle genético não se aplica à da displasia (coxofemoral e cotovelos), que também é uma doença hereditária mas multigênica, ou seja mesmo os pais sendo isentos de displasia pode-se produzir filhotes doentes.

A transparência de um plantel examinado é muito importante para que aos poucos passemos a ter um plantel praticamente limpo, e ainda mostra que o criador se preocupa com a saúde dos filhotes sem perder a qualidade de sua criação

Somos criadores sérios, comprometidos com o desenvolvimento da raça e que atuamos de forma coordenada sob a égide do Conselho Nacional da Raça Labrador (CBL) e Clubes locais, como o Clube Paulista do Labrador (CPL).

É importante frisar que, apenas na CBKC, a raça labrador foi responsável pelo registro de 1145 filhotes em 2018, e que deste total, infelizmente, apenas uma mínima parte é proveniente de canis que submetem seus cães a testes genéticos preventivos, como os canis Bicame, Buddy Hunter, Cabernet, Pansy Lab, Phogo e Tokay Lab.


Compartilhe


Segue a gente